Missionários
Claretianos Brasil

P. Nilton Boni nos escreve de Curitiba

  Talvez seja muita pretensão minha afirmar que nossa história cordimariana começou lá em Lc 1,26-38, na Anunciação do Senhor a Maria. Sim, lá mesmo! Neste ato tão sublime Maria é escolhida como Mãe de Deus (Teothokos). Eis aqui nossa primeira devoção àquela que na sua humildade disse sim à vida, pensando em todos nós. E depois, ainda em Lc 2,19 ela, Maria, “guardava todas estas palavras e meditava-as no coração”.

         A partir deste momento, nascemos! Nasce a devoção ao Coração de Maria! Nasceu e cresceu, pois muitos padres, muitos santos começaram a invoca-la sob este título e difundir as graças alcançadas. Reconheceram que o coração da Mãe é o lugar mais sagrado e especial para refugiar-se e viver com Cristo. Mãe e Coração, duas belíssimas definições para a mulher mais importante na história do cristianismo.

         E desta fonte, bebeu Santo Antônio Maria Claret, apóstolo do Coração de Maria. Ele tanto a amou que fundou uma grande obra colocando-a aos seus cuidados. Seus missionários, os Filhos do Imaculado Coração de Maria trouxeram essa fé incondicional e verdadeira à Mãe do Divino Amor e espalharam as sementes desta salutar devoção ao mundo inteiro, aproximando os povos de Deus e fazendo resplandecer o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

         E finalmente em 1895, chegamos, os Missionários Claretianos ao Brasil, na grande São Paulo e de lá nos espalhamos. Chegamos aqui em Curitiba em 1905, graças à “profecia” daquele bispo D. José Camargo Barros que na missa celebrada no Campo da Cruz (atual Praça Ouvidor Pardinho), disse que aqui seria um local dedicado a Nossa Senhora e iria abrigar uma importante instituição religiosa. E assim se fez! Chegamos! Um grupo de missionários, fervorosos, cheios de caridade e alegria tendo à frente os padres José Domingo, Geraldo Palomera, Martin Maíztegui, João Sadurni e Baldomero Dueñas. Aqui iniciamos mais uma grande obra, continuando a do Fundador.

         Esses poucos homens construíram um pequeno santuário benzido em 24/05/1908 e aos poucos cativaram o povo. Nesse ano, a festa em homenagem ao Coração de Maria agregou muitos fiéis que se encantaram com o nosso carisma. Os padres começaram a fazer missões em toda a diocese abraçando todos os tipos de trabalho. Desse modo, a devoção cordimariana ia aumentando e o templo se tornou pequeno para tanta gente. Em 1910 já começaram a pensar na construção de uma igreja maior, até que no dia 26 de agosto de 1917 benzeram a pedra fundamental do novo templo. E assim, muitos que testemunharam o evento adotaram a causa e se envolveram na construção. O vice governador do Estado Dr. Munhoz da Rocha foi o presidente da comissão de obras e o engenheiro Dr. João Moreira Garcez que era o Diretor de Obras Públicas do Município de Curitiba fez o projeto original do Santuário do Imaculado Coração de Maria. Que bênção! Um ano depois já se via os alicerces do templo que foi concluído em 03/12/1922. Mas ainda havia muita coisa a ser feita.

         Essa história continua com muito amor até os dias atuais.
         Pe. Nilton Boni cmf
 
NOTA: no dia 26/08/2017, a comunidade da Paróquia do Imaculado Coração de Maria se reuniu na missa solene das 16h para celebrar os 100 anos de início da construção da igreja. Simbolicamente, foi abençoada uma nova pedra trazida pelos descendentes do Sr. Caetano Munhoz da Rocha, nosso benfeitor e foi lida a ata da bênção da primeira pedra fundamental. Presidiu a cerimônia o Superior Provincial Pe. Marcos Aurélio Loro, concelebraram os PP. Nilton Cesar Boni, Eguione Nogueira Ricardo e Ricardo Campos Parreiras da diocese de Rubiataba e Mozarlândia/GO. Gratidão e fé foram os sentimentos dos presentes.

 

Comente essa notícia

Comentários 0